Mamy Antenada: Ensaio Fotográfico da Gestação do Coração - Fernanda e Lênio

Ensaio Fotográfico da Gestação do Coração - Fernanda e Lênio


Olá Pessoal!!

Hoje tem história linda no ar e Ensaio Fotográfico da Gestação do Coração da Fernanda e Lênio, uma história de muito amor e aprendizado.

"Meu nome é Fernanda Bronzeado Mendes, tenho 32 anos, sou publicitária, professora universitária, acompanhante terapêutico, estudante de psicologia e palhaça humanizadora. 
Sou casada com Lênio Bronzeado Mendes, de 35 anos, publicitário, professor universitário, estudante de letras, músico e compositor. Somos cristãos e casados há 7 anos. Há 6 anos desejamos ter filhos. Estamos há 1 ano e 6 meses na fila da adoção.

Nossa história começa como a da maioria dos casais que conheço, começamos as tentativas de engravidar, passaram 3, 6, 9, 12 meses e nada. Depois de um ano de tentativas frustadas fomos procurar ajuda especializada, os médicos disseram que só engravidaríamos através de fertilização ou inseminação. Conversamos e chegamos a conclusão que o desgaste psicológico seria grande e não tínhamos dinheiro para investir nos tratamentos, descartamos essa alternativa. Cheguei a me perguntar se eu realmente queria ter filhos, porque estavam me dando uma alternativa e eu estava recusando.
Então na minha cabeça ficou assim, não vou ser mãe, meu grande sonho acabou, não tinha forças para começar qualquer outro projeto, o mundo parecia cinza, não tinha energia para investir num novo projeto.

Um parêntese aqui, hoje eu falo que antes de casar já pensava em adoção, o que é verdade, mas quando passei por toda essa dor da infertilidade a adoção não passou pela minha cabeça, eu estava tão focada em engravidar e me achava tão abandonada por Deus que só conseguia olhar para o que eu não tinha e estava começando a endurecer meu coração. Em meio a essa dor minhas orações eram: Deus, por que você me deu o desejo de ser mãe e não nos deu filhos? Ao mesmo tempo pedia para Deus que não permitisse que eu me tornasse uma pessoa amarga e invejosa. 

Enquanto isso meu marido com a resposta dos médicos já visualizava a adoção, mas ficava triste por saber que essa seria a única forma de ser pai, e ele gostaria que essa fosse uma das opções e não apenas a única opção.
Vejo muitos pretendentes a adoção relatar a parte da infertilidade quase como se não envolvesse tristezas e revoltas, mas eu quis contar os detalhes, pois sei que muitos casais vivem isso, e o luto da infertilidade deve ser vivido mesmo, pois ele nos fortalece para os passos seguintes.

É a primeira vez que escrevo essa história e acho que só estou conseguindo colocar para fora porque estou vivendo uma nova fase onde reconheço o amor de Deus por mim, sou grata por Deus ter estado comigo o todo tempo, me consolando, ensinando, cuidando dos detalhes. 

A adoção entrou em nossas vidas em julho de 2014, quando estávamos numa viagem de visita a familiares, no carro ouvíamos o culto do amigo e pastor Marquito, da cidade de Piracicaba-SP, a mensagem era sobre a passagem da bíblia que dizia: “A religião que Deus, o nosso Pai aceita como pura e imaculada é esta: cuidar dos órfãos e das viúvas em suas dificuldades e não se deixar corromper pelo mundo. (Tiago1:27)” 
Na mensagem ele falava sobre nosso egoísmo, sobre a gente dizer que vai fazer as coisas só quando a vida estiver perfeita, enquanto isso a gente não sai do lugar porque a perfeição nunca chega. A gente teve um click e pensamos que ele estava falando diretamente com a gente. Então ainda nessa viagem decidimos adotar.
Demos entrada para documentação em 17/09/2014 (o dia que completava 7 anos do nosso primeiro beijo, que romântico). A habilitação saiu em janeiro de 2015, mas segundo a vara da infância, estamos na fila desde a entrega dos documentos.
Desde então estamos grávidos do coração e aprendendo que a vida é vivida um dia de cada vez, porque do contrário o coração da gente desanima, entristece e murcha.

Cada dia a gente aprende uma coisa nova, a gente aprende que não tem controle sobre muitas coisas, aprende a lidar com as más línguas, aprende a sentir amor pelos nossos filhos que ainda não conhecemos, aprende que sonhar é bom, mas que também precisamos ter os pés no chão. 
A preparação não é só do ambiente, temos que preparar avós, tios, primos, amigos, convidar todos para essa grande aventura que é amar.
Na época da desesperança eu falava com Deus que queria tanto poder dar a notícia pro meu marido da gravidez, que queria fazer o quartinho, tirar foto de grávida, cuidar de cada detalhe. 
E Deus ouviu minha prece (me deu esse mimo), me deu uma gestação do coração, para eu curtir cada etapa, me deu uma gestação longa para me ensinar a ter paciência e pra eu poder cuidar com zelo do quartinho, dos brinquedos, preparar o ninho pra chegada dos meus filhos.

Minha barriga não cresceu (já era grandinha, mas não aumentou..rs), quem cresceu fui eu, meu coração expandiu, se abriu para acolher um ser com sua história, medos e sonhos. Ele vai aprender a ser filho e eu vou aprender a ser mãe e a gente vai aprender a se amar por essa vida afora.
Esse álbum da nossa gestação do coração é muito importante para nós, porque representa o cuidado de Deus em nossas vidas, Ele cuida dos detalhes, a nós cabe confiar e descansar Nele."













Gratidão Fernanda e Lênio por dividirem a história de vocês aqui no Blog, muito amor, que a gestação do coração seja linda (já está sendo né?!) e que a chegada das crianças seja em breve!!

Se você quiser enviar sua história mande um email para mamyantenada@gmail.com, ou nos contacte através das redes sociais aqui (tem o link aqui do lado direito)!!

Bj Bj

Nenhum comentário:

Postar um comentário