Mamy Antenada: Dilemas e Devaneios - Como enfrentar o Luto!

Dilemas e Devaneios - Como enfrentar o Luto!

Olá Pessoal!

Hoje o tema é delicado e complicado, muitos podem até pensar que não tem a ver com o blog... mas como por aqui falamos de Mulherices, VIDA e Inspirações o tema é sim pertinente com o Blog!
Em contraponto com a Vida temos a Morte, e lidar com ela é um momento que exige muito de nós, a morte de um membro da família, a morte de um filho (mesmo que ainda em formação no ventre), a morte de um animal de estimação (que é membro da família), são perdas difíceis de aceitar, mas que aos poucos devem ser interiorizadas e trabalhadas, para que se possa seguir em frente de uma forma tranquila e segura.



Encontrei um folhetinho nas minhas bagunças que falava a respeito desse assunto, li e reli, e pude entender um pouco de como superei a perda dos meus bebês (um deles um aborto retido). Mesmo que inconsciente passei por essas fases, e também busquei ajuda psicológica, o que foi essencial para que eu pudesse fechar esse ciclo e me abrir para o próximo.

1- Fale sobre a sua perda e sua dor: nos primeiros meses, muitas pessoas tem essa necessidade. Deixe que os outros saibam que esse assunto não deve ser evitado e que lhe faz bem falar sobre isso. Vale ressaltar que, caso não lhe faça bem falar sobre o assunto também deixe bem claro, ok?!

2. Enfrente o sentimento de culpa: quando se perde alguém importante é difícil entender que você fez o bastante, que foi suficiente. Conversar com alguém compreensivo e de confiança vai ajudar a diferenciar a culpa real da irreal e, aos poucos, a irreal começa a diminuir.

3- Trabalhe o sentimento de raiva e revolta: quando há uma grande perda, esse sentimento se faz presente, e é importante percebê-los e expressa-los, e ter a consciência que aos poucos eles diminuirão, e que não adianta negar ou envergonhar-se.

4- Idealização: há uma fase em que buscamos nossas falhas como pai, mãe, filho, cônjuge, irmão, amigo e vê a pessoa que se foi como um ser perfeito, mas com o tempo começará a vê-la como um ser humano real, com qualidades e defeitos, assim como todos nós.

5- Não se isole: Mesmo que não se sinta a vontade para compartilhar seu sofrimento e prefira ficar sozinha, busque a companhia de outras pessoas. Amigos e familiares que gostem de você podem ajudar muito. Eles podem fazer muito por você e você por eles!

6- Mude de valores: diante da morte ou de uma grande perda, as pessoas tendem a repensar seus valores, a reavaliar seus objetivos de vida, deixar de lado coisas que anteriormente valorizavam e que agora percebem que são insignificantes, percebendo o que realmente é importante.

7- Nunca mais serei o mesmo: é comum haver um grande sofrimento com esse pensamento, mas não significa que você nunca mais será feliz. As vezes pode parecer inaceitável, enquanto passa pelo período de sofrimento, mas as transformações nos causam um grande enriquecimento.

8- Evite decisões difíceis e grandes mudanças: o primeiro ano após a perda não é o tempo adequado para tomar grandes decisões ou fazer mudanças, a menos que as circunstancias exijam.

9- Reserve períodos e locais para lembranças: não fique o tempo todo pensando e vendo objetos da pessoa que se foi; não deixe seus pertences espalhados, e sim guarde-os em caixas ou armário. Tente reservar algum período específico para pensar na pensar e no seu luto, quando também poderá rever os objetos.

10- Prevendo dias e datas difíceis: é importante saber que vai se sentir mais triste, solitário e infeliz em certos dias e datas, tais como: aniversário, Natal, Ano Novo, onde a falta da pessoa se faz mais presente. Planeje estar com amigos e familiares nessas datas.

11- Culpa por sentir-se bem: não lute para continuar sendo ou parecendo infeliz. Sentir-se feliz e com ter novos objetivos não é deslealdade, nem significa que não ama ou está esquecendo o ente querido.

12- Reajuste-se à vida e ao trabalho: as atividades devem ser retomadas assim que possível, pois são peça chave no processo de recuperação. Fique atento, pois sua capacidade física e mental podem demorar um pouco a voltar ao ritmo.

13- Liberte-se de expectativas irreais: acreditar que a vida deveria ser diferente, não envolvendo escolhas dolorosas, sofrimento e perdas é irreal e só gera revolta, prejudicando você e sua vida. Torne as expectativas em você, nos outros e na vida mais reais, tornando mais difícil a frustração e a mais fácil a adaptação.

14- Integrando a perda: não vamos nos fazer de vítimas, por pior que seja sido a perda, essas situações de sofrimento podem ser transformadas em aprendizado. Só se tem saudade de algo que foi bom e nos trouxe algo de positivo.

15- Pesar excessivamente longo: quando um sofrimento excessivo se prolonga por mais de ano, talvez o problema principal não seja a perda em si, mas sim outro aspecto emocional ativado ou reforçado pela perda. Amigos, conselheiros ou um psicologo podem ajudar nesse caso.

16- Procure a ajuda de um profissional se necessário: não venha com a história de que quem procura ajuda de psicoterapeuta é doente mental. Na grande maioria das vezes são pessoas comuns enfrentando problemas, passando por uma crise, sofrendo com uma perda. Um profissional da área de psicologia é alguém com que você pode dividir seu sofrimento, sua revolta, seu medo, suas lembranças, sua culpa e conflitos; e que ele pode compreende-lo e ajuda-lo.

Espero que eu possa ter te ajudado um pouquinho a entender essa dor da perda! E te digo, a dor vai passar, e você vai se reerguer, mais forte do que nunca! E lembrando que, não é vergonha nenhuma pedir ajuda!
Viva o luto, feche o ciclo e retome sua vida!! A saudade sempre existirá, mas ela não doerá tanto!!

Um grande beijo no coração



Fonte: Livretinho - 16 passos para enfrentar a dor do Luto - Psicologa Lais L. Dias.   



2 comentários:

  1. Muito legal a sua abordagem! Esse tema ´tão delicado, mas tão importante de ser falado, pois pode ajudar muita gente que está passando por um momento difícil!
    Beijo
    www.leticiatomsik.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Le!
      É realmente uma fase complicada e dificil, mas que passa, temos que tentar passar por ela da melhor forma possivel!
      Bj Bj
      Pri

      Excluir