Mamy Antenada: Apadrinhamento Afetivo - O que é?!

Apadrinhamento Afetivo - O que é?!


Olá Pessoal!

Tudo bom com vocês?!

Hoje o texto do blog nos levará a uma reflexão. 
Sei que alguns dos leitores do blog se identificam com um dos temas propostos aqui - a Adoção - mas nem todas as pessoas de fato adotarão uma criança. Algumas pessoas gostariam de ajudar de alguma forma essas crianças que estão ou vivem em Casas Lares ou Abrigos, e muitas vezes não sabem de que forma podem fazer. 
Então hoje, vou explicar para vocês uma das formas de ajuda à uma criança que vive em uma casa lar ou abrigo - O Apadrinhamento Afetivo.



Vários estudos já foram feitos e já existem muitos textos científicos que afirmam que os laços afetivos são muito importantes para o desenvolvimento das crianças, em todas as faixas etárias, compartilho com vocês vários deles nas redes sociais. Mas infelizmente, crianças e adolescentes que estão abrigados, não conseguem aproveitar os benefícios da convivência familiar e comunitária, garantido pelo Estatuto da Criança e Adolescente, no seu artigo IV.

O Apadrinhamento Afetivo é uma oportunidade para a criança abrigada de resgatar o direito da convivência familiar e comunitária, proposto pelo Estatuto, ampliando as suas referências, oferecendo a eles a oportunidade de se relacionar dentro de outro ambiente, com novos exemplos de participação familiar e de cidadania dentro da sociedade.

O Padrinho ou Madrinha Afetivo auxilia e acompanha a vida de uma criança ou adolescente abrigado que tem possibilidade remota de inserção em uma família substituta, ser adotado. Mas esse projeto não implica em nenhum vínculo jurídico do padrinho para com seu afilhado, apenas o afetivo.

Cada padrinho ou madrinha terá liberdade de escolher lugares para passear, ocasiões e demais atividades para realizar com o afilhado, participando efetivamente da vida da criança ou adolescente.

Os padrinhos e crianças participam de esclarecimento e são acompanhados por uma equipe técnica do abrigo, para que possam construir e estreitar os laços afetivos de forma consciente e saudável.

Mas ser padrinho afetivo não é apenas aparecer 1 vez ao ano, é vivenciar a vida dessa criança. O padrinho deve ter:

- Disponibilidade de tempo para participar efetivamente da vida do(a) afilhado(a), como: visitas ao abrigo, à escola, passeios, entre outras;
- Ter mais de 21 anos, respeitando a diferença de ser 16 anos mais velho do que a criança ou adolescente, o mesmo aplicado em caso de adoção;
- Participar das oficinas e reuniões com a equipe técnica do projeto de apadrinhamento do Abrigo ou Casa Lar em que a criança está inserida;
- Contar com mais uma pessoa da família que também possa participar das Oficinas de Esclarecimentos;
- Apresentar toda a documentação exigida;
- Consentir visitas técnica na sua residência;
- Respeitar as regras e normas colocadas pelos responsáveis do projeto e dos abrigos.

Apadrinhar afetivamente uma criança é permitir que ela passe algum tempo com você, por alguns períodos, um dia da semana ou o final de semana, sem implicar qualquer vínculo jurídico.



Essas são algumas atividades que podem ser feitas com o afilhado afetivo:

- Levar para passear;
- Acompanhar e ajudar nas tarefas da escola;
- Levar ao médico e ao dentista;
- Realizar brincadeiras em dias de visita ao abrigo;
- Levar (se desejado) o afilhado para passar um dia ou fim de semana em sua residencia.

Essa é uma das formas com que você pode fazer realmente diferença na vida de uma criança, não apenas aquela de ajudar em datas festivas como Páscoa, Dia das Crianças e Natal.
Você pode entrar em contato com o Abrigo ou Casa Lar de sua cidade e verificar se eles possuem o Projeto de Apadrinhamento Afetivo, ou uma outra forma de ajudar as crianças, é um belo gesto, e o maior beneficiado no final será você!!

Bj Bj cheio de afetividade pra você!






Nenhum comentário:

Postar um comentário