Mamy Antenada: Tratamentos de Reprodução Assistida e Assistência Psicológica

Tratamentos de Reprodução Assistida e Assistência Psicológica

Olá Pessoal!!

Sempre digo que todo mundo, uma vez na vida, deveria fazer análise!! Digo, frequentar o divã de um terapeuta ou psicólogo! 
Faz um bem danado, eu é que o diga, hehe!

Eu comecei a frequentar depois do segundo aborto que sofri, em meio aos diversos tratamentos de reprodução assistida que vinha fazendo, e a entrada com a papelada da adoção. Confesso que se não estivesse em "tratamento psicológico" talvez não tivesse aguentado o tranco. Em meio ao turbilhão de acontecimentos, injeções de hormônios, incertezas e esperanças eu estava perdida, sem conseguir olhar para mim, fazendo as coisas no automático. Poder parar algumas horas para conversar sobre tudo que me afligia com uma pessoa que não estava no meio disso tudo, vendo de fora todas as coisas, de um outro angulo, me ajudou a sair de tudo isso mais fortalecida e de não ter desistido de muitas coisas.

E hoje, foleando minha Revista da IVI, encontro um texto chamado "A ponto de jogar a toalha", que fala justamente sobre isso, da figura do psicólogo na ajuda para aguentar a pressão dos longos e difíceis tratamentos de reprodução assistida, e vou compartilhar alguns trechos que acho super importantes!

"Durante o período de tempo que o casal leva implicado no processo, desde o diagnóstico de infertilidade à gravidez, é possível que passe por vários ciclos, cada um deles representando uma nova avalanche de emoções e estresse, onde a esperança é ameaçada por emoções negativas baseadas na incerteza, o que influencia e modifica as expectativas e a forma de enfrentar o tratamento", explica Vivian Volkmer Pontes, doutora em psicologia e psicóloga da IVI Salvador.

O tratamento da infertilidade pode consistir em um período de crise, de desafios, dificuldades emocionais, conflitos e vivências intensas para muitos casais, fazendo-se presentes elevados níveis de ansiedade, sofrimento emocional e até sintomas depressivos. Com isso torna-se necessário um espaço de escuta as questões emocionais, onde os casais possam expressar seus sentimentos, medos e angustias, e refletir sobre suas escolhas e outras questões relacionadas ao desejo de ter filhos.



5 dicas para "Não Jogar a Toalha"

1. Aceite a situação: As vezes, a tão sonhada gravidez demora mais do que gostaríamos. Aceite com naturalidade as emoções que possam surgir, sem sentir culpa por isso.
2. Cuide de outros aspectos de sua vida pessoal: Não deixe para trás outros projetos que gosta e te fazem sentir bem. Se necessário, dê um tempo e descanse antes de começar um novo tratamento, isso irá ajudar a recarregar as energias.
3. Olhe para frente com atitude positiva: Fuja dos pensamentos negativos e enfrente seu sonho com alegria. As chances acumuladas de gravidez aumentam com as tentativas; consulte os resultados clínicos disponíveis em nosso site e comprove essas informações. Sabemos que 85% dos casos de infertilidade tem solução.
4. Conte com o apoio de seu/sua parceiro(a): Cuidar emocionalmente um do outro é fundamental para não abandonar o tratamento. isto implica manter uma atitude de escuta emocional, de tolerância e de compreensão. ajudar-se mutualmente, não se culpar e dividir a carga são atitudes muito benéficas.
5. Procure apoio psicológico: Está demonstrado que o apoio psicológico melhora o ajuste emocional dos pacientes em tratamento, resultando em um menor indice de abandono e uma maior taxa de nascimentos saudáveis. 



Maiores informações sobre a IVI:
Com sede em Valência, na Espanha, o instituto iniciou suas atividades em 1990. Possui 23 clínicas, em 7 países e é líder europeu em medicina reprodutiva.
Desde 2010 está no Brasil, em Salvador e desde 2012, o instituto chega a São Paulo. Em ambas as ocasiões, através de parcerias com especialistas já consagradas no país (respectivamente Dra. Genevieve Coelho e Dra. Silvana Chedid). Com a chegada do IVI ao país, chegam também novas técnicas para o tratamento da infertilidade no Brasil, como a vitrificação de óvulos, o diagnóstico genético pré-implantacional e a embrioscopia.

Sirlene Zamboni Cervera: 11 9418 9484
IVI: Salvador (71) 3014-9999; São Paulo (11) 3266 7733



Nenhum comentário:

Postar um comentário