Mamy Antenada: Movimento Fertilidade

Movimento Fertilidade

Olá Pessoal!!


Quando o bebê demora a chegar, a mulher geralmente é julgada por não ter engravidado. Você sabia que a porcentagem da infertilidade masculina é igual à da feminina? 40% para ambos os sexos, 10% é do casal, e os outros 10% não tem causa definida. A avaliação do casal por um especialista é muito importante, essa informação é da FanPage do Movimento Fertilidade



Esse movimento surgiu com o objetivo de estimular a discussão sobre o direito à fertilidade em função de inúmeros casais com problemas de infertilidade que não conseguem tratamento pelos sistemas de saúde, seja o sistema público (SUS) ou através de planos particulares.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), um em cada cinco casais (20% da população), apresenta algum tipo de problema que os impossibilita de ter filhos. Esta condição é definida após 12 meses de relações sexuais regulares sem uso de contracepção.



No entanto, a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) exclui o tratamento para infertilidade da lista dos atendimentos obrigatórios dos planos de saúde porque alega que a lei 9.656/98 não abrange este procedimento. Porém, a lei 11.935/2009 obriga os planos de saúde a garantirem cobertura para as despesas com os procedimentos médicos indicados nos casos de planejamento familiar.

Já o Sistema Único de Saúde (SUS) oferece poucas opções de tratamentos gratuitos. A fila de espera pode chegar a cinco anos, o que piora a condição das mulheres com problemas de infertilidade, pois a partir dos 35 anos as chances de gravidez diminuem drasticamente.

Hoje, no Brasil, as leis reforçam os métodos de contracepção, mas ignoram o fato de infertilidade ser uma doença. Além dos casais que enfrentam esse problema, médicos especialistas em reprodução assistida são favoráveis à ampliação do acesso aos tratamentos de fertilização, principalmente por parte dos planos de saúde. Em outros países da América Latina, como Argentina e Chile, por exemplo, as leis garantem que os tratamentos de fertilização sejam cobertos pelos planos de saúde e que também estejam plenamente disponíveis na rede pública.

(Informações do site Movimento Fertilidade)


Esse foi um vídeo que fiz, para o Canal Mamy Antenada no Youtube, falando um pouco dos tratamentos contra a infertilidade que eu fiz!



Vamos participar desse movimento pessoal?! Inscreva-se e curta esse Movimento e apoie essa causa!

Bj Bj








2 comentários:

  1. Olá, Pri!
    Eu li esse post e me identifiquei muito...
    Eu e meu marido estamos casados há quase 9 anos e estamos há 4 anos começamos a tentar ter um bebe. Faz 2 anos q descobrimos q meu marido é infertil. Ele tem microdelecao no cromossomo y, uma alteração genética meio rara. Ate então nunca tinha ouvido falar nisso e nunca imaginei que o problema fosse dele (na verdade mesmo é de nos 2, assim eu tento encarar).
    Enfim... Mt triste essa realidade. Tentamos muitos médicos diferentes, viajamos para SP. Sempre mt difícil.
    Agora estamos pensando no que fazer. Quem sabe não adotamos. Senti vontade ano passado, mas depois bateu um pânico e eu coloquei meus planos de lado.
    Muito boa sorte na sua caminhada, que eu sei que não é fácil.
    Tudo de bom e parabéns pelo blog.
    Ana Paula

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Ana Paula,
      É um momento todo delicado e mega sensível para o casal!
      Mas penso que nessa hora é que vemos a força que temos, unidos!
      A adoção é uma maternidade linda, estamos passando agora pela gestação do coração e como outra dita "normal" tem seus altos e baixos, hehe!
      Se o seu coração está apto para essa gestação penso que é um ótimo caminho! O "pânico" bate nas duas gestações, medo de não dar conta, de não amar o suficiente, e por aí vai! É uma ideia a ser amadurecida como casal e decidida em conjunto!!
      Muito obrigada pela sua visita e seu comentário, estou aqui para muitos bate papos, fique super a vontade em entrar, sentar e conversar!!
      Um grande beijo e sorte e luz pra vocês!!
      Pri

      Excluir