Mamy Antenada: Infertilidade Masculina

Infertilidade Masculina

Olá Pessoal,

Nós sempre falamos aqui sobre a Infertilidade feminina, e que eu lembre nunca abordamos a masculina, então recebi esse texto da IVI que achei bem legal em compartilhar com vocês que se chama: 
"A PATERNIDADE EM TEMPOS MODERNOS. A LUTA CONTRA A INFERTILIDADE MASCULINA." onde se constatou que:
  • A idade não é o fator mais importante no caso do homem.
  • Os problemas nos espermatozoides como baixa quantidade ou mobilidade são a causa mais frequente da infertilidade masculina.
Leia mais....




Em gerações anteriores, um homem para ser respeitado tinha como obrigação casar e ter filhos, de preferencia ter ao menos um filho homem. Em tempos modernos encontramos outras formas para dar o merecido respeito ao homem, mas o instinto de procriação não é apenas cultural e muitos homens sofrem ao encontrar-se na situação de infertilidade. Existe o impulso de encontrar um culpável entre o homem e a mulher, mas isto não ajuda a resolver os problemas.
As causas de infertilidade têm a mesma possibilidade de serem de origem masculina, quanto de origem feminina (30% para ambas). Outras razões, 20% dos casos, podem ser devido a causas mistas ou combinadas e, inclusive fatores não identificados: 20%. No caso do homem, Dra. Silvana Chedid, diretora da clínica de Reprodução Humana IVI São Paulo, agrupa fatores:

Problemas com os espermatozoides

a- Baixa quantidade
A Organização Mundial de Saúde (OMS) estabelece que a quantidade normal de espermatozoides é 20 milhões por milímetro de sêmen. Estes casos são de menor gravidade já que as técnicas de reprodução assistida permitem resolver este problema através da Fecundação in Vitro (FIV) ou a Injeção Intracitoplasmática (ICSI), que introduz o espermatozoide diretamente no óvulo.

b- Falta de mobilidade
Para este problema também existe solução. As anteriormente explicadas técnicas de: FIV ou ICSI, dependendo do caso. As causas de escassa ou nula mobilidade podem ser ocasionais (infecções) ou permanentes (relativas a alguma condição genética).

c- Anomalías genéticas
Dividem-se em duas possibilidades: anomalias genéticas nos cromossomos ou genes e anomalias que afetam apenas a línea germinal do homem e seus espermatozoides, estas alterações genéticas ligadas ao sexo são as únicas possibilidades onde é permitido escolher o sexo do bebê.

As anomalias genéticas também estão bem controladas mediante o estudo cariotipo (conjunto de cromossomos) do homem. A técnica FISH nos espermatozoides (hibridação in situ fluorescente) e outros exames detectam enfermidades genéticas.
O DPI (Diagnóstico Genético Preimplantacional) é uma técnica fundamental para identificar e selecionar embriões saudáveis e, desta forma erradicar o problema.

MACS – técnica de seleção de sêmen
Atualmente uma técnica que aumenta 10% das possibilidades de êxito da gravidez é a MACS (magnetic actived cell sorting) que consiste em dar um passo além das tradicionais técnicas de seleção de sêmen baseadas somente em sua morfologia e mobilidade. O MACS, adotado de forma pioneira pelo IVI, inclui outros fatores moleculares implicados na fertilidade. Têm como base um dos processos fisiológicos do organismo humano, a apoptosis ou morte celular programada, ou seja, considera a vida das células e os distintos tecidos que nascem, têm um tempo limitado de vida e morrem.


Fatores externos

Nem sempre os fatores são internos, ou seja, os hábitos do homem podem exercer influencia em sua fertilidade”, comenta Dra. Genevieve Coelho, diretora do IVI Salvador e dá exemplos:

a- Hábitos alimentares
A obesidade, ou sobrepeso e a má alimentação estão relacionados com uma menor produção de espermatozoides. Uma alimentação pobre em antioxidantes (vitaminas E, A, C, B-12, carnitina, arginina, selenio, etc.) atua negativamente sobre el DNA espermático.

b- Consumo de álcool
O consumo excessivo de bebidas alcoólicas, além dos muitos danos que pode causar em vários órgãos do corpo humano, também atua sobre o hipotálamo-hipófisis-testicular. Os níveis de testosterona são afetados, assim como a qualidade e quantidade dos espermatozoides.

c- Fumar
O cigarro, unido ao consumo excessivo de álcool, não apenas soma, mas sim multiplica os efeitos negativos sobre o sistema reprodutor masculino. São numerosos os estudos que abordam a capacidade mutagénica dos compostos do cigarro sobre as células germinais. Afeta, como o álcool, a qualidade e quantidade dos espermatozoides.

d- Consumo de drogas
A maconha é a droga mais consumida em todo o mundo. Contém ao menos 20 ativos cannabinoides e os estudos demonstram que altas doses desta droga (8-20 cigarro/dia) são associados a uma diminuição significativa na concentração, mobilidade e alterações na morfologia espermática.

e- Stress
Também foi estudado o efeito do stress cotidiano na infertilidade masculina. No caso de homens submetidos a situações muito traumáticas de stress, a qualidade dos espermatozoides é seriamente alterada.
Em casais submetidos a técnicas de reprodução humana, onde a carga de ansiedade e stress é alta, a fertilidade também é prejudicada, por isso o apoio psicológico nestas situações é muito importante.

Poluição
Ninguém está livre da poluição nas grandes cidades. Mas, algumas pessoas são mais suscetíveis a esses problemas ambientais do que outras. “É como o câncer de pulmão e o cigarro. Sabemos que o grupo dos fumantes tem mais risco de ter a doença do que os não fumantes, mas isso não quer dizer que todos os tabagistas vão ter câncer", exemplifica Dra. Silvana Chedid, que também é pesquisadora do laboratório de poluição atmosférica da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP)

Sobre o IVI
Com sede em Valência, na Espanha, o instituto iniciou suas atividades em 1990. Possui 23 clínicas, em 7 países e é líder europeu em medicina reprodutiva.
Desde 2010 está no Brasil, em Salvador e desde 2012, o instituto chega a São Paulo. Em ambas as ocasiões, através de parcerias com especialistas já consagradas no país (respectivamente Dra. Genevieve Coelho e Dra. Silvana Chedid). Com a chegada do IVI ao país, chegam também novas técnicas para o tratamento da infertilidade no Brasil, como a vitrificação de óvulos, o diagnóstico genético pré-implantacional e a embrioscopia.

Mais informações
Sirlene Zamboni Cervera: 11 9418 9484
IVI: Salvador (71) 3014-9999; São Paulo (11) 3266 7733

Bj Bj




Nenhum comentário:

Postar um comentário