Mamy Antenada: Nossa História...

Nossa História...

Olá Pessoal...

Há um tempinho atras recebi um convite bem especial, uma blogamiga pediu para que contasse a minha história como tentante para o blog dela, então a Mah (Mariana Bonás) publicou meu texto no Blog Vida de Gestante e Mãe...

Nele contei um pouco sobre a incompatibilidade que eu e meu marido tivemos, e o tratamento que fizemos...

Então hoje, vou compartilhar aqui o mesmo texto que compartilhei lá no Blog da Mah.... 

Sempre é bom informar as que temos, aquilo que passamos, pois muitas vezes tem pessoas passando pela mesma situação!

Aproveito para agradecer a Mah pela oportunidade de falar às leitoras do Blog dela, que muitas também passam por aqui, vocês é que nos dão força!!!


Esse foi o texto, minha vida (já faz quase 1 ano, hehehe, eita tempo que voa)!



Nós


"Sou a Pri Aitelli e tenho 35 anos (completados na sexta passada!).

Minha vida de tentante é bem longa, desde 2007 (6 anos), eu e meu marido decidimos ter filhos desde o começo do namoro, já que já é o segundo casamento de cada um (ele já tem uma filha, hoje com 14 anos do primeiro casamento).

O primeiro ano foi tranquilo, de expectativa de acontecer, já que todo médico pede que uma tentativa de 1 ano.

Passado esse um ano, em 2008, começaram as “investigações”… exames e mais exames até um primeiro diagnostico preliminar – possível endometriose; tive que fazer a tal de histerosalpingografia. Sim, nome tão horrível quanto o exame, que deu uma visão melhor da endometriose e me encaminharam para videolaparoscopia para a confirmação, detectar grau e eliminação dos focos…

Então foi confirmada a endometriose, grau leve… para alguns médicos um fator positivo… para outros tendo endometriose você já está na lista das que vão ter trabalho para engravidar.

Pensamos que depois dessa etapa a gravidez fosse acontecer, os meses se passaram e nada… o sentimento de impotência, insegurança, ansiedade só aumentavam!

Começamos então nossas andanças por clínicas de reprodução humana, pois como era um mundo que nunca tínhamos entrado, um só diagnóstico não me deixava confortável….procuramos nos sentir confortável com um médico, pois nessas horas de fragilidade a segurança de um médico é um bom caminho para o sucesso.

Fizemos nossa primeira Inseminação Artificial (IA) em agosto de 2010, infelizmente negativo… decepção, incertezas…

Alguns médicos dizem que depois de 2 anos há uma grande probabilidade da endometriose voltar… O fato é que quem tem endometriose vai ter sempre endometriose… é uma doença crônica, controlada por: remédios (incompatível com a gestação), cirurgia de videolaparoscopia (elimina os focos por algum tempo) e pela gestação (que ameniza a situação).

Achei legal mudar de médico, procurar outras opiniões… como sempre, minha mãe e o Dr Google me ajudaram em muitas delas, hehehe, quem não faz isso né?!

Achei um Mega Médico numa cidade a 90 Km de onde eu moro, várias pessoas tinham recomendado… ele foi um que resolveu não mexer na endometriose e indicou prosseguir nas IAs, todos os médicos acham que deve-se fazer de 3 a 4 IAs, antes de passar para uma próxima etapa, e como meus exames e de meu marido não deram nada de alterado, o ”protocolo” era esse…

Partimos então para mais uma etapa de IA… medico novo, esperanças renovadas, mas ansiosidade e apreensão iguais como sempre… Digo que o protocolo de medicamentos sugerido por esse médico foram bem diferentes do procedimento anterior… injeções hormonais diárias na barriga, controles diários por US para verificação de crescimento dos folículos… como injetava hormônios imagina como eu ficava… oscilava entre dias em que se alguém falasse mais alto comigo ou eu voava no pescoço ou eu sentava e chorava, literalmente hormônios à flor da pele! Meu Maridão foi sempre exemplar, gostava de participar aplicando as injeções em mim, ficava mega chateado quando eu fazia careta de dor na aplicação, mas era impossível, mesmo quando eu me aplicava.

O procedimento foi feito… 15 dias muito longos se arrastaram até eu poder fazer o primeiro Beta…e o medo de abrir o exame, quando saiu o resultado na internet…eu tremia…quase não acreditei quando vi o 34 (maior que 5 significava que estava gravida). Liguei pro medico, e ele com uma vozinha meu murcha falou que tinha dado positivo mesmo, mas muito baixo, que esse número tinha que dobrar de 2 em dois dias… então tive que repetir o exame por 1 semana…exaustivo, angustiante, e tudo mais, mas tudo foi evoluindo muito bem, fizemos o primeiro US, escutamos o coraçãozinho, e quando chegou no segundo US a bomba! Nosso bebê tinha parado de se desenvolver na 8 semana… meu mundo caiu… tive que fazer uma curetagem pois o aborto ficou retido.

Questionamentos de porquês ainda são uma incógnita, tanto medica como espiritualmente…

Vivi a dor, o luto, mas seguimos em frente… tínhamos que evoluir…

Fizemos mais duas IAs, uma negativa e outra positiva (que também não evoluiu, mas ainda na fase dos Betas)

Os porquês continuavam…e mais pesquisas no Dr. Google…
Numa dessas pesquisas achamos um médico de SP mega experiente na área de Reprodução Humana, minha mãe ligou pra lá e explicou meu caso, super atenciosos eles questionaram e falaram que poderia ser questão de incompatibilidade. 
Foi uma interrogação monstruosa, pois nenhum médico que eu tinha consultado até então tinha questionado esse fato. E te digo que muitos deles não acreditam nisso… pois perguntei a vários e eles falaram que não tem nada comprovado ainda.
Fomos a SP fazer o exame (Cross Match) para verificar se éramos compatíveis, pois você sabe, o bebê é composto de 50% de informação genética sua e 50% do pai, nossos exames deram positivo para a incompatibilidade, meu organismo entende que meu bebê é um “corpo estranho” e o expulsa (por ter informação genética do pai), o que pode ser uma explicação dos 2 abortos, pois nos exames pós curetagem não deram nenhuma anormalidade.
Procuramos um médico que acreditasse nessa linha de pensamento, Graças a Deus achamos um e ele nos indicou fazer a “Vacina do Papai” ou IPL (Injeção de Leucócitos Paternos), antes de partir para qualquer outro procedimento, o que fizemos por 3 longos meses… são vacinas feitas com o sangue do meu marido, aplicadas em mim para que meu organismo comece a identificar as células dele como “normais”…
Hoje iremos fazer nosso Cross Match pós vacina, para ver se negativou… se sim, partiremos para a Fertilização in Vitro no próximo ciclo…
Estamos ansiosos para a próxima etapa, e com muita fé que tudo dará certo…
Aaah, no ano passado entramos com a papelada para a adoção, nosso folho do coração também está sendo “gestado”!

Essa luta é muito difícil, altos e baixos, momentos de euforia e de tristezas, se não for a fé, o apoio do maridão e da família não sei como estaria de pé…
Tudo que estiver ao meu alcance farei para ter meus filhotes nos braços!!!

Sei que a história é comprida, talvez tenha enfatizado mais um lado ou outro, mas se quiser algum detalhe não deixe de perguntar, quanto mais tentantes ficarem sabendo das possibilidades de tratamento melhor…"

Então essa foi a história compartilhada... e aqui no Blog vocês tem a continuidade no Diário de Uma Tentante e Diário de uma Gestante do Coração!!

Bj no coração e ótimo findi pra TODOS!



Nenhum comentário:

Postar um comentário