Mamy Antenada: Dicas para Mamys: o Desfralde

Dicas para Mamys: o Desfralde

Olá Mamys!!

A dica de hoje é para as mamys que estão tentando tirar as fraldas de seus filhotes.
Minha filha está com 2 anos e 5 meses e no final do ano passado iniciei este processo.
Meu marido estava viajando a trabalho quando ela deu os primeiros sinais que estava na hora de iniciar o desfralde.
Conversei com a professora dela e decidimos iniciar, aliás a escola teve papel fundamental neste processo.
Queria fazer o desfralde da forma mais natural e menos traumática possível, por isso, esperei os "sinais" da minha filha.
Eu já havia escutado sobre as fases da criança: eu fiz, eu estou fazendo e eu quero fazer, mas não estava prestando muita atenção, porque achava ela pequena ainda para tirar as fraldas.
Quando ela começou a tirar as fraldas sozinha, literalmente, ela parava no banheiro e jogava a fralda na lixeira sozinha, parei e vi que estava mais do que na hora de incentivá-la.
Expliquei pra ela, que ela era uma mocinha agora, saímos juntas para comprar as calcinhas, e no momento que decidi que seria hora de estrear as calcinhas, abandonamos de vez as fraldas (diurnas, durante a noite ainda não tirei).
Exaltei bastante a novidade, contamos para várias pessoas da família, mandamos fotos dela de calcinha para o pai, avós, tias, primas e ela estava adorando toda esta "platéia".
Um dia estávamos num restaurante e na hora que o garçom passou por ela, ela me olhou e disse: "posso contar pro titio? e apontou pra calcinha - rsrs. Eu disse que sim, que era uma novidade muito legal e que ele adoraria saber!!!
Bom, na primeira semana, uma escapadinha só no chão da sala e eu estava achando tudo muito fácil, não entendia porque as outras mães faziam tanto terrorismo sobre este assunto.
A partir da segunda semana, o ibope da novidade foi caindo e com isso ela passou a deixar escapar com mais frequência.
Eu acabei cometendo um erro.... na ansiedade dela não fazer xixi na calça, perguntava de cinco em cinco minutos se ela queria ir ao banheiro e a cada 40 minutos eu colocava a pobrezinha sentada no vaso sanitário, ou seja, uma batia pressão sobre o assunto.
Quando vi que não estava funcionando, conversei com a professora e ela mandou um bilhete na agenda para todas as mamães que estavam passando por esta fase (o texto está aí abaixo).
A partir daí, "relaxei" ... (entre aspas porque, às vezes, acabo perdendo a paciência com ela, pois pergunto se ela quer ir ao banheiro, ela diz não e no minuto seguinte faz xixi no calça. Acho que ela faz pra chamar a atenção e aí digo que não gostei, mas..... faz parte).
Já faz uns três meses que ela está sem fraldas, algumas poucas vezes ela deixa escapar um xixi e aprendi algumas coisas sobre o assunto:

- Não pressione seu filho a deixar as fraldas, cada criança tem seu tempo. Não é porque a maioria das crianças da mesma faixa etária estão deixando as fraldas que seu filho também tem que entrar na onda;
- Não pressione seu filho com tantas perguntas e tão frequentes, se não, ele nunca vai aprender qual o momento exato de pedir pra fazer, ou quando está realmente com vontade;
- Não brigue caso ele deixe escapar na calça - estresse desnecessário pode traumatizar seu filho;
- Incentive e elogie cada vez que ele pedir pra ir ao banheiro e fizer tudo certinho;
- Incentive-o a fazer todo o ritual: baixar suas calcinhas/cuecas sozinho/a, se limpar sozinho, dar a descarga, dar tchau para o xixi e cocô, jogar o papel no cesto, lavar as mãos (lógico que sempre supervisionado)
- Tenha paciência, este processo pode demorar uns 40 dias.

Outra coisa que fiz com minha filha, para incentivá-la a fazer as necessidades dela no vaso, foi dar um pequeno "prêmio" cada vez que ela pedia pra ir ao banheiro e fazia tudo certinho.
Coloquei uma folha de papel colada na parede do quarto dela e a cada acerto, eu dava uma figurinha pra ela colar no papel. Ela amou a ideia e ainda hoje pede as figurinhas =)

Abaixo o texto que recebi da escola:
"A criança muito pequena ainda não tem consciência que pode controlar os músculos que retém ou liberam o xixi e o cocô e isto ocorre involuntariamente sem que a criança perceba. Mas conforme vai crescendo, vai conhecendo seu corpo, desejos e necessidades, observando-se e criando um determinado controle sobre seu próprio corpo.
A princípio a criança irá começar a avisar quando já fez e este é o primeiro passo. A criança começa a ficar incomodada com a sensação de estar molhada ou suja.
A partir daí você pede pra ela te avisar um pouco antes de fazer, ensinando a usar o famoso peniquinho. Você pode iniciar esta aprendizagem em média aos dois anos, dependendo do ritmo de cada criança. Nesta fase a criança ainda não tem consciência de tempo entre a vontade de fazer xixi ou cocô e a realização destes e por este motivo não deve ser repreendida.
É importante que os adultos pais não nomeiem o cocô e o xixi como algo ruim ou nojento, associando a algo errado e sujo, pois para a criança estes produtos fazem parte dela, portanto são naturais e espontâneos e sendo criticada por isso pode deixar a criança confusa achando que fez algo ruim e repugnante.
É gratificante para a criança quando ela percebe que consegue controlar o xixi e o cocô, sente-se mais independente e com a sensação primária de que não é mais um "bebezinho". É importante que o adulto incentive esta independência da criança e a elogie nesta sua nova conquista.
Alguns adultos repreendem a criança até mesmo na frente de outras pessoas quando ela não consegue avisar e acabe sujando sua roupa. Esta ação é como se fosse uma repressão de suas necessidades básicas e pode ter consequências muito negativas tanto neste momento como no futuro.
Por vezes, a criança pode esquecer de avisar quando estiver envolvida em alguma brincadeira por exemplo. Essa é uma fase de descobertas, treino e aprendizado que deve ser acompanhada e orientada pelo adulto com paciência e tranquilidade. A criança aos poucos vai conhecendo seu corpo e se habituando com a nova situação.
(texto adaptado - Dulcimar Ferreira)

E para quem já passou por esta experiência, alguma outra dica?

Bjbjbj









Nenhum comentário:

Postar um comentário