Mamy Antenada: Diabetes Infantil...

Diabetes Infantil...

Olá Mamys!

Para fecha o mês de Controle e Prevenção do Diabetes vamos falar um pouquinho sobre o Diabetes Infantil, pois muitas crianças desenvolvem diabetes e os pais normalmente não sabem como lidar com esse problema e ficam perdidos. Então nada melhor conhecer essa doença, tirar todas as dúvidas para ajudar seu filho.
O Diabetes é uma alteração na produção do hormônio insulina pelo pâncreas ou uma resistência à ação da insulina pelo organismo; a insulina ajuda o organismo a transformar o açúcar (glicose) em energia para o funcionamento do corpo humano.Existem dois tipos de diabetes, a do tipo 1 e a do tipo 2.
A diabetes do tipo 1 é o tipo mais comum em crianças, pode aparecer subitamente desde as primeiras semanas de nascimento até os 30 anos de idade. Durante os 5 aos 7 anos e durante a puberdade a doença tende a ser mais comum. Está relacionado à falta ou pouca produção de insulina, não conseguindo controlar a taxa de glicose ingerida.
A diabetes tipo 2 é hereditária e acontece quando as células resistem à ação da insulina, mesmo que sua produção seja normal. Antigamente era uma doença de adulto, mas com a elevação da taxa de obesidade infantil associada a uma vida sedentária e com maus hábitos alimentares, esse tipo de diabetes aumentou consideravelmente entre as crianças.
Quanto antes for detectado o diabetes, maior a chance de eficácia no controle da doença evitando complicações futuras. O Aleitamento Materno é uma das medidas de prevenção ao diabetes pois evita a alimentação artificial, rica em açúcares desnecessários nesta fase.
Então, uma alimentação saudável para evitar a obesidade infantil; o estimulo a prática de atividade física são essenciais na prevenção do diabetes infantil.
Sintomas

Sede, aumento de fome e emagrecimento, aumento do número de vezes em que se urina e são na maioria das vezes acompanhados por grande mal estar, sonolência, fraqueza, tonturas, câimbras e formigamentos.
Se não diagnosticada e tratada desde cedo, o mal pode causar variação brusca da taxa de glicose no sangue. O aumento da glicose, hiperglicemia, leva a criança a beber muita água. Já a hipoglicemia (baixa taxa de glicose) causa tremores, suores gelados, taquicardia e falta de resposta a estímulos. A variação pode levar ao coma.
A longo prazo, a doença causa perda de visão, derrame, infarto, hipertensão, impotência sexual, doenças pulmonares e insuficiência renal.
Como cuidar 
Para o controle da diabetes tipo 1 são necessárias aplicações diárias de injeções de insulina. O número de injeções diárias varia de acordo com a necessidade, ficando em torno de 2 e 4 injeções. Tão importante quanto aplicar o hormônio é fazer o monitoramento do nível de glicose no sangue.

Já o tipo 2 em geral não é preciso tomar medicamento, mas é imprescindível fazer um controle rígido da taxa de glicose, acertar a dieta e praticar exercícios.

A criança precisa de uma dieta rica em fibras e pobre em açúcar, com seis refeições ao dia. O ideal é retirar da alimentação os açúcares de absorção rápida como açúcar refinado, mascavo, cristal e mel. Consumir de maneira moderada os açúcares de absorção lenta como massas, tubérculos e frutas. Adoçantes devem ser usados por crianças a partir de um ano de idade.

Sempre. sempre, sempre, deve-se procurar o médico rapidamente ao se suspeitar desta doença para que o diagnóstico e tratamento da diabetes seja o mais precoce possível.
Atenção 1:
Segundo uma pesquisa realizada pela Sociedade Internacional de Diabetes em Adolescentes e Crianças (ISPAD), em parceria com o laboratório Novo Nordisk, apontou que as escolas brasileiras não estão preparadas para atender as crianças diabéticas.
• Apenas 50% dos alunos entrevistados afirmaram que seus professores têm conhecimento de sua doença e 10% deles se dizem discriminados e consideram que o diabetes limita seus relacionamentos sociais.
• De acordo com o estudo, cerca de 60% dos jovens não controlam devidamente a doença no período letivo e 40% das crianças faltam à escola ao menos uma vez por mês em função da doença.
• Pais e filhos gostariam que fossem oferecidos lanches mais saudáveis nos colégios e que os professores tivessem capacitação para atender os alunos diabéticos em casos de emergência.
• Foram ouvidos profissionais de saúde, pais e cuidadores de crianças diabéticas, além de jovens portadores da doença em 13 países, entre eles o Brasil.
Atenção 2:
- Nas festinhas de aniversário: procure levar doces diet que a criança possa comer, evitando que ela não fique com vontade vendo os amiguinhos se deliciando com guloseimas. De acordo com o médico, veja se é possível administrar insulina de ação ultra-rápida, caso a criança coma doces ou salgados.
- A tentação de doce pode estar na própria dispensa da casa e para a criança, fica muito difícil resistir, especialmente se os irmãos estiverem liberados para o açúcar. A dieta deve ser de toda a família .Mas se outras crianças vão comer guloseimas, utilize as diet ou negocie a aplicação de dose extra de insulina.
- Cuidado com a lancheira da escola, que deve ter sanduíche natural, frutas, barra de cereal diet e suco diet. A criança precisa resistir à oferta de doces e refrigerantes das cantinas, e a escola precisa dar apoio aos alunos diabéticos.
O diálogo é fundamental para o bom controle da doença e o apoio familiar também!
Bj Bj

fonte de pesquisa:


2 comentários:

  1. Oi, minha filha tinha uma amiguinha que tinha a tipo 1, era uma barra, pq criança vê as coisas e fica com vontade. E as mamães de plantão, que fiquem de olho, p os sintomas aparecem. Ótimo post fofa!
    Beijocas!
    Rose

    ResponderExcluir
  2. Oi!!
    Obrigada Flor...
    Observar a sua criança é fundamental... e também se colocar no lugar do outro né, é dificil para uma criança entender que não pode comer as coisas que os amiguinhos comem, então é fundamental fazer um circulo de amizades (pais e filhos) que estejam atentos, solidários ao que possui o Diabetes!
    Beijo Beijo... é ótimo te-la por aqui!!!

    ResponderExcluir